Fecundação in vitro

Em que consiste a FIV?

A fertilização in vitro (FIV-ICSI) é uma técnica de reprodução assistida em que a fertilização do óvulo pelo esperma é realizada em laboratório (in vitro) e não no interior do corpo da mulher.

Requer estimulação dos ovários para obter vários óvulos que são extraídos por punção ovárica e, uma vez fertilizados no laboratório, são depositados no útero da mãe para se conseguir a gravidez.

Tipos de Fecundação in vitro (FIV-ICSI)

Tipos de Fecundação in vitro (FIV-ICSI)

Icono IA para alteraciones seminales

Fecundação in Vitro
com esperma de cônjuge

Icono IA para alteraciones de la ovulación

Fecundação in Vitro
com esperma de dador

Icono IA para alteraciones de la ovulación

Fecundação in Vitro
em ciclo natural

Fases para a FIV

Primera consulta de diagnostico para fecundación in vitro

Primeira consulta e diagnóstico

Avaliamos sempre a história clínica completa dos pacientes: idade, tempo de infertilidade, história pessoal e familiar, bem como a história ginecológica / urológica. Além disso, serão solicitados outros testes a fim de realizar um estudo básico de infertilidade: avaliação da reserva ovárica, espermograma, confirmação da permeabilidade tubária, teste de compatibilidade genética e estudo cromossómico (quando recomendado).

FIV Estimulacion ovarica

Estimulação ovárica

A estimulação começa, normalmente, no terceiro dia do ciclo menstrual. Existem diferentes protocolos (longo e curto) mas todos têm como objetivo estimular o desenvolvimento de óvulos. Esta fase dura geralmente cerca de 10 dias e são necessários cerca de três controlos ecográficos. Quando o tamanho folicular desejado é atingido, a ovulação é desencadeada e a punção ovárica é programada 35 a 38 horas mais tarde.

Punción ovárica para fecundación in vitro

Punção ovárica

A punção ovárica é realizada por via vaginal com sedação. O fluido aspirado é analisado no laboratório para encontrar os óvulos.

Se for uma IVF-ICSI conjugal, no dia da punção, precisamos de uma recolha do parceiro. Se uma palheta de esperma de dador for utilizada, descongelá-la-emos no mesmo dia para fecundar os óvulos.

Técnica de laboratorio de cultivo embrionario para fecundación in vitro

Técnicas laboratoriais e cultura de embriões

A fertilização é frequentemente realizada com microinjeção de esperma (ICSI), que consiste em introduzir o espermatozoide no óvulo com a ajuda de uma microagulha. Posteriormente, os embriões permanecem no laboratório durante alguns dias até ser atingido o melhor momento para os transferir. Dependendo do caso, técnicas laboratoriais especiais podem ser utilizadas para melhorar os resultados.

Transferencia embrionaria para fecundación in vitro

Transferência embrionária

A transferência consiste em depositar os embriões no útero materno através de uma cânula muito fina introduzida através do colo do útero. Não é doloroso e é normalmente realizada entre três a cinco dias após a fecundação dos óvulos. A lei limita o número máximo de embriões que podem ser transferidos a dois.

Prueba de embarazo para fecundación in vitro

Teste de gravidez e confirmação

12 dias após a transferência do embrião, é realizado um teste de sangue chamado ?-HCG para determinar a gravidez. Nunca deixe de tomar a medicação sem antes consultar o seu médico, independentemente do resultado.

15 dias após o teste ?-HCG, é realizada a primeira ecografia para determinar o tipo de gravidez (única ou múltipla) e a presença de batimentos cardíacos.

Ciclo natural para fecundación in vitro

FIV em Ciclo Natural

A Fertilização in Vitro em Ciclo Natural consiste na realização de um tratamento de FIV-ICSI (fertilização dos óvulos pelos espermatozoides em laboratório com ICSI) num ciclo sem estimulação ovárica e, portanto, sem medicação.
O óvulo, após a sua maturação natural, é extraído por punção ovárica imediatamente antes de ocorrer a ovulação natural. Este óvulo é fecundado no nosso laboratório e cultivado até atingir o estado ideal para ser transferido para o útero materno e assim dar origem a uma gravidez.
Este tratamento por não recorrer a medicação hormonal, diminui consideravelmente os custos e elimina o risco de hiperestimulação e gravidez múltipla.

Como será o meu tratamento se não resido em Portugal?

Sabemos que quando uma mulher decide ser mãe, está a tomar uma das decisões mais importantes da sua vida e que a maternidade é um sentimento universal que não ultrapassa tudo. Por isso, para estar mais perto de si e facilitar esse caminho, nasceu o nosso Departamento Internacional, formado por coordenadoras nativas que a acompanham antes, durante e depois da gravidez.

Atribuímos-lhe um médico e um coordenador que falem o seu idioma

O nosso Departamento Internacional é formado por coordenadoras fluentes em várias línguas que a acompanharão antes, durante e depois da sua gravidez.

Apenas é necessária uma viagem a Portugal.

Se estritamente necessário, só precisa de viajar uma vez para Portugal, pode organizar a sua viagem como melhor entender no que toca a férias, voos e reservas. As demais consultas podem ser feitas por meios remotos: videoconferência, telefone ou e-mail.

1ª consulta gratuita

Se desejar conhecer-nos pessoalmente

Estudos anteriores e controlos durante o tratamento

Pode realizá-los no seu país com o seu ginecologista de referência. Forneceremos a você as diretrizes necessárias a serem seguidas.

Adaptamo-nos a si

Com os recursos necessários para começar quando estiver pronto. Sem listas de espera.

Ciclo natural para fecundación in vitro

FIV em Ciclo Natural

A Fertilização in Vitro em Ciclo Natural consiste na realização de um tratamento de FIV-ICSI (fertilização dos óvulos pelos espermatozoides em laboratório com ICSI) num ciclo sem estimulação ovárica e, portanto, sem medicação.
O óvulo, após a sua maturação natural, é extraído por punção ovárica imediatamente antes de ocorrer a ovulação natural. Este óvulo é fecundado no nosso laboratório e cultivado até atingir o estado ideal para ser transferido para o útero materno e assim dar origem a uma gravidez.
Este tratamento por não recorrer a medicação hormonal, diminui consideravelmente os custos e elimina o risco de hiperestimulação e gravidez múltipla.

Resultados

Na Ginemed, as taxas de gravidez após o tratamento IVF-ICSI são de cerca de 65% nas transferências de dois embriões ao dia +5 (Blastocisto), confirmadas por uma βHCG positiva.

Em qualquer caso, dependem da idade da mulher (uma vez que a fertilidade diminui com a idade), do número de embriões transferidos e da sua qualidade.

Nos tratamentos de FIV em ciclo natural, os resultados dependem em grande medida da idade da mulher e da qualidade dos ovócitos, e rondam os 30% com um batimento cardíaco positivo.

O risco de aborto espontâneo e de alterações fetais, uma vez atingida a gravidez, é o mesmo que numa gestação natural.

Solicite a sua consulta

A primeira consulta é gratuita e sem compromisso

Perguntas frequentes sobre FIV

▪ Quando é recomendada a FIV?

A fertilização in vitro (FIV ICSI) é recomendada nos seguintes casos:

  • Fator tubário. Alterações nas trompas de falópio que impedem a união do óvulo com o esperma de forma natural.
  • Infertilidade masculina grave. Se o número ou qualidade do esperma for insuficiente para realizar um ciclo de inseminação (REM< 3 milhões).
  • Casos de endometriose e ovários poliquísticos, doenças em que existem alterações funcionais que dificultam a estimulação ovárica, a qualidade dos óvulos, a sua fecundação ou implantação do embrião; idade materna avançada e diminuição da reserva ovárica.
  • Infertilidade de origem desconhecida. Geralmente resulta em alterações no momento da fertilização ou má qualidade no desenvolvimento embrionário.
  • Falha de inseminações anteriores. Quando, após 3 ciclos de inseminação, a gravidez não foi alcançada.
  • Em óvulos previamente vitrificados (preservação de fertilidade).
Quantos óvulos são fertilizados na FIV?

Geralmente, todos os óvulos maduros obtidos após estimulação ovárica e punção folicular são fertilizados para que sejam selecionados os melhores embriões a serem transferidos, otimizando o tratamento e aumentando as possibilidades de gravidez no menor tempo possível.

Em certos casos, parte dos óvulos obtidos podem ser vitrificados para posterior utilização, fertilizando os restantes.

Como se processa o tratamento de FIV?

A fertilização in vitro (FIV) é uma técnica de reprodução assistida em que a união do óvulo e do esperma é realizada em laboratório e não dentro do corpo da mulher, para que possam ser gerados embriões que são selecionados para posteriormente serem transferidos para o útero materno.

Para isso, é necessário um processo de estimulação ovárica, para atingir o desenvolvimento de vários óvulos que depois se colhem através de uma punção folicular sob sedação ligeira. Após a fertilização, os embriões gerados permanecem em laboratório até que seja alcançado o melhor momento para transferi-los para o útero.

Quanto tempo dura o tratamento de FIV?

O processo de fecundação in vitro começa no 2º ou 3º dia do ciclo menstrual. Previamente, será realizada uma ecografia para confirmar se os ovários estão em repouso e o processo de estimulação será iniciado. O protocolo a ser utilizado é personalizado de acordo com a avaliação do médico. A estimulação dura entre 10 a 12 dias, durante os quais serão realizadas 2 ou 3 ecografias, até que os folículos atinjam o tamanho adequado, que indica uma maturidade correta dos óvulos.

A transferência do embrião ocorrerá 3 a 5 dias após a punção folicular. 10 a 12 dias depois será realizado o teste de gravidez (βhCG) para confirmar a gravidez.

Quais são as percentagens de sucesso de engravidar por FIV?

As possibilidades de engravidar com um tratamento de fertilização in vitro dependerão muito das causas da infertilidade. Cada caso é singular, assim como o tratamento proposto.

A idade da mulher é um dos fatores mais importantes, pois a fertilidade diminui com o passar dos anos. A partir dos 42 anos, as probabilidades de gravidez com óvulos próprios são < 5%.

Na Ginemed, a taxa de sucesso supera médias nacionais e internacionais, sendo estas auditadas externamente.

Que sintomas podem surgir após o tratamento de fertilização in vitro?

Durante o tratamento, devido à estimulação ovárica e ao desenvolvimento multifolicular que faz aumentar o seu tamanho, pode surgir uma sensação de distensão abdominal, peso, inchaço nas pernas, que aparecem a partir do quinto ou sexto dia da estimulação, desaparecendo após a realização da punção ovárica. Geralmente são sintomas leves e temporários.

Pode continuar com a sua atividade normal sem restrições, evitando o stress e vivendo adequadamente. Nesse sentido, deve evitar o contacto com toxinas e realizar pelo menos meio hora de atividade física contínua, como caminhar. O que é considerado bom para a saúde, também o será para a reprodução.

Qual é a diferença entre uma transferência no dia +3 ou no dia +5 (blastocisto)?

O dia da transferência do embrião é um dos dias mais importantes durante o tratamento de reprodução assistida. Nesse dia, os embriões que darão origem à futura gravidez são transferidos para o útero da mãe.

A escolha do momento ideal para a transferência dos embriões depende em grande parte da evolução dos embriões em laboratório. Na gravidez natural, o embrião implanta-se no útero no dia 5-6 de desenvolvimento, sendo o dia 0 o da ovulação e fecundação do óvulo com o esperma, que coincide com o dia da punção e da recolha da amostra do sémen. Por isso, quando os embriões chegam a esse dia de evolução, as probabilidades de gravidez aumentam porque:

  • Os embriões de melhor qualidade podem ser selecionados;
  • Esta seleção permite a transferência do melhor e de um único embrião, evitando o risco de gravidez múltipla;
  • O útero está mais recetivo
Quais são os benefícios de fazer uma transferência em ciclo diferido?

A transferência em ciclo diferido é realizada com embriões vitrificados após a realização de um ciclo de fertilização in vitro (FIV). Essa decisão pode decorrer de critérios médicos ou pessoais.

O processo de vitrificação é geralmente realizado no 5º ou 6º dia de desenvolvimento embrionário, momento em que os embriões se encontram no estágio de blastocisto. Segundo os embriologistas é o ideal para a vitrificação ou transferência, por serem embriões de melhor qualidade e com maior taxa de sobrevivência.

É, portanto, um procedimento que nos permite realizar a transferência de embriões vitrificados de boa qualidade e que não foram transferidos num ciclo de fertilização in vitro a fresco, aumentando a taxa de gravidez.