Dormir pouco e mal pode afetar negativamente a qualidade do sêmen

29 de Abril de 2022

A Ginemed participou recentemente de um estudo no qual colaboraram 105 homens com problemas de infertilidade.

Pesquisas sugerem que a duração do sono pode afetar a integridade da cromatina espermática, uma das principais causas da infertilidade masculina.

Sabemos que a má qualidade do sono e as horas de sono inadequadas têm um efeito negativo na saúde geral. O que não sabíamos é que também pode afetar a fertilidade nos homens.

A Ginemed participou recentemente de um estudo científico no qual 105 homens com problemas de fertilidade colaboraram para demonstrar a relação entre maus hábitos de sono e má qualidade do sêmen.

Os resultados do estudo mostram que quanto pior a qualidade e quantidade do sono, maior fragmentação do DNA espermático (DFI), uma das principais causas de infertilidade em homens.

Infertilidade de fator masculino

A esterilidade do fator masculino é chamada de casos em que os espermatozoides são responsáveis, parcial ou totalmente, pelo problema de fertilidade. As causas podem ser genéticas ou adquiridas ao longo da vida.

Hoje pode-se considerar que aproximadamente 10-15% dos casais apresentam uma disfunção reprodutiva. Desses casos, 20% são devidos exclusivamente a causas masculinas, atuando como fator contribuinte em pelo menos mais 25%.

Uma das principais causas da infertilidade masculina é a fragmentação do DNA do esperma (DFI). Espermatozóides com DNA fragmentado estão relacionados à falha na fertilização, desenvolvimento embrionário,  implantação, abortos repetidos e diminuição das taxas de gravidez.

Infertilidade de fator masculino

 

Resultados estudios previos

Alguns estudos encontraram uma associação entre alta fragmentação do DNA espermático (alto DFI) e sono irregular, bem como entre má qualidade do sono e má qualidade seminal em homens férteis.

Estudos recentes mostraram uma mudança nos níveis de espécies reativas de oxigênio devido à restrição do sono, sugerindo que a privação do sono influencia indiretamente a integridade da cromatina espermática.

Hábitos de sono inadequados interrompem a expressão de genes circadianos, levando a uma queda nos níveis de melatonina. Por sua vez, a diminuição da melatonina se traduz em uma diminuição na capacidade das células de reparar danos oxidativos no DNA.

Embora as pesquisas nessa área ainda sejam limitadas, a literatura recente sugere que a má qualidade do sono e o número inadequado de horas de sono podem afetar negativamente a qualidade do sêmen.

Resultados en Ginemed

Para a avaliação do fator masculino realizamos diferentes estudos. Os principais são o cariótipo , que examina uma amostra do material genético do espermatozóide para verificar se ele possui o conjunto cromossômico correto; e o seminograma, teste chave no estudo da fertilidade masculina, pois permite conhecer as características do sêmen.

Outro dos testes que usamos é o teste de fragmentação do DNA espermático, o teste que foi realizado nos homens participantes do estudo Ginemed no qual se observa uma relação entre sono ruim e fragmentação do sêmen.

Na Ginemed, mais de 50% dos casos de azoospermia conseguem ter filhos com o próprio esperma. Após uma abordagem e tratamento personalizado, conseguimos obter esperma nos casos mais complexos.

Solicite a sua consulta

A primeira consulta é gratuita e sem compromisso

Não há comentários

COMENTÁRIO